Home Entrevistas Luciana e Milton

Luciana e Milton

Vencendo a adversidade

24
Luciana e Milton
Luciana e Milton

ANOS ATRÁS FIZEMOS uma reportagem com algumas brasileiras que dirigiam taxi em Miami Beach e entre elas estava a Luciana. Depois soubemos que ela estava doente com câncer. Qual a nossa surpresa ao reencontrá-la cheia de vida e agora, dirigindo um enorme caminhão, junto ao seu marido Milton.

Com muita alegria fomos entrevista-la e mostrar a todos uma história de superação.

SR | Você já foi taxista. O que a motivou a deixar o taxi e dirigir um caminhão?
Luciana |
Sim, fui taxista em Miami por 6 anos. Depois de sobreviver a um câncer, meu marido que já era caminhoneiro, me convenceu que seria uma boa oportunidade de estarmos juntos, para que ele cuida-se mais de mim e ganhássemos um bom dinheiro. Confesso que no começo estranhei muito, pois tínhamos que estar longe de casa por 3 semanas e nossos filhos, menores de idade, moravam conosco ainda. Mas com a graça de Deus contratamos uma boa babá e sempre tivemos os meus parentes por perto.

SR | Fale um pouco sobre o seu caminhão?
Luciana |
Hoje temos um caminhão Kenworth T660 com um motor Cummins de 500 cavalos, transmissão automática com 13 velocidades. Conta com um dormitório grande, cozinha, geladeira grande, cama do tamanho Queen e banheiro completo. Temos um gerador de eletricidade e antena de satélite; é como um pequeno motor-home onde nos sentimos muitos confortáveis trabalhando nas estradas da América.

transportamos todo e qualquer tipo de mercadoria. Muitas vezes são sigilosas ou de muito valor e nem sabemos do que se trata. quando necessário, dirigimos até 10 horas cada um para que a mercadoria chegue a tempo ao destino.

SR | Qual a sua rotina diária quando você e seu marido estão na estrada?
Luciana |
A nossa rotina de cada jornada é de 3 semanas a 1 mês mais ou menos, de 10 mil a 18 mil milhas, dependendo da necessidade. Trabalhamos há 12 anos com a FedEx Custom Critical na área de expedição, que é de cliente a cliente. Estamos autorizados a transportar todo e qualquer tipo de mercadoria. Muitas vezes são sigilosas ou de muito valor e nem sabemos do que se trata. E quando necessário, dirigimos até 10 horas cada um diariamente, para que a mercadoria chegue a tempo no cliente.

SR | Você também cozinha dentro do caminhão. Conte-nos como você consegue  cozinhar em um local tão pequeno.
Luciana |
A minha cozinha é pequena mas muito versátil, não falta nenhum utensílio e me sinto muito à vontade para cozinhar. Sempre paramos em algum supermercado e fazemos umas compras para comermos mais saudável. Algumas vezes comemos sanduíches ou vamos a restaurantes nas cidades ou nos das paradas de caminhões.

SR | Que lugares exóticos vocês já conheceram enquanto trabalhavam?
Luciana |
Já estivemos em todos os estados dos EUA e em cidades tão pequenas que muitos nunca ouviram falar. Também em boa parte do Canadá. Um lugar que ainda não tivemos a oportunidade porque o acesso é impossível para caminhões do tamanho do nosso, é o Monte Rushmore no estado da Dakota do Sul, mas ainda está no nosso “bucket list”.

SR | Sendo tão bonita, como você se cuida e qual o seu ritual para conservar a pele e o cabelo estando tantas horas na estrada?
Luciana |
Sempre fui muito vaidosa, confesso, e agora, mais do que nunca, tenho que me preocupar com a minha saúde física e espiritual. Como falei antes, sou sobrevivente de câncer e não é mais uma opção se cuidar e sim uma questão de obrigação. Um acontecimento como esse na vida de qualquer pessoa, é um “wake up call”.

SR | Conte-nos sobre alguma anedota ou caso engraçado que vocês já vivenciaram neste mundo afora.
Luciana |
Engraçado é pessoas ainda se surpreenderem a verem mulheres dirigindo caminhão. Em algumas ocasiões motoristas e caminhoneiros nas rodovias quando vão ultrapassar e se dão conta de que é uma mulher, pisam no freio causando um congestionamento só para poder ver melhor e eu começo a rir. Teve casos que tive que chamar o meu marido para que a pessoa se sentisse constrangida e seguisse o seu caminho.

SR | Que experiência essa profissão já lhes trouxe?
Luciana |
A nossa experiência é que de alguma forma todos temos que lutar por alguma coisa. Seja trabalho, amor, saúde ou sucesso. Todos os dias temos que encontrar força, coragem e batalhar. O nosso trabalho é nossa segunda casa, por isso aprendemos estar em paz e chegamos mais longe. Não nos limitamos em somente trabalhar e cumprir o nosso dever. Acreditamos que o que fazemos é importante e fazemos com excelência, tanto para conosco como para o empregador. Sabemos que há um Deus que olha por todos nós e por mais que as situações possam parecer difíceis, sempre há um novo dia para se fazer do ontem um dia melhor hoje. Erguemos a cabeça e sempre somos muito gratos por tudo o que Deus nos oferece. Pelo bom e pelo ruim, tudo o que acontece é para o nosso crescimento, nunca perdemos a fé! Assim nós cremos!